sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Gato Bravo e seu Habitat



DIFERENTES HABITATS BENEFICIAM OCORRÊNCIA DO GATO-BRAVO
NA ESCÓCIA, DESCOBREM PORTUGUESES
(Em 14 de Novembro de 2012)


Estudo pode contribuir para medidas específicas de conservação da espécie
Por Susana Lage

Gato-bravo (Crédito: André P. Silva)


O gato-bravo tem sido, historicamente, considerado como uma espécie estritamente florestal. Mas, de acordo com André Silva e Luís Miguel Rosalino, esta é uma espécie que beneficia com uma paisagem composta por diferentes habitats.

Os investigadores do Centro de Biologia Ambiental, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, têm vindo a colaborar com a Wildlife Conservation Research Unit (WildCRU) da Universidade de Oxford num estudo sobre os determinantes ambientais que estão a limitar a ocorrência do gato-bravo na Escócia, onde a população desta espécie está seriamente ameaçada.

De acordo com o artigo que recentemente publicaram na revista Diversity and Distributions, a combinação de diferentes habitats (por ex. manchas de floresta e pradaria) pode beneficiar ainda mais a ocorrência deste felídeo comparativamente a manchas de habitats muito grandes e homogêneas.

André Silva (Crédito: André P. Silva)

Enquanto a espécie pode utilizar as zonas florestais como áreas de refúgio e zonas por onde maioritariamente se movimenta, visitará habitats mais abertos e teoricamente menos adequados como as pradarias para predar, nomeadamente na sua presa preferencial, o coelho”, explica André Silva ao Ciência Hoje. Por outro lado, continua, “quando os coelhos não estão presentes na área a espécie tem a habilidade de se alimentar de pequenos roedores e insectívoros que estão nas zonas florestais. Desta forma parece-nos que o alimento é o que mais condiciona a ocorrência desta espécie, pois se existir uma abundância reduzida de presas a probabilidade da espécie estar presente é bastante reduzida, mas se estas estiverem presentes tem a habilidade de se movimentar entre diferentes habitats e até retirar algum benefício da heterogeneidade da paisagem”.

Segundo os cientistas portugueses, a população de gato-bravo na Escócia está bastante ameaçada, principalmente devido à hibridação com o gato-doméstico. Para a conservação da espécie estão a ser pensadas zonas de proteção onde se possa diminuir a presença e o impacto do gato-doméstico e onde simultaneamente se preservem núcleos populacionais importantes para o gato-bravo.

O que nós assinalamos com este estudo é que essas áreas em termos ecológicos devem apresentar uma presença simultânea das presas preferenciais (coelhos e pequenos roedores) e que isto acontece principalmente em zonas heterogêneas em termos de habitat. Isto permitirá a espécie sobreviver mesmo quando existem flutuações das populações de presas”, refere André Silva.

Mais do que uma descoberta científica, este estudo é algo de útil que pode vir a contribuir para medidas específicas de conservação. No entanto, sublinha o investigador, “este é só um primeiro passo e é preciso fazer muito mais”, como por exemplo estudos a uma escala local.

Por outro lado, o trabalho chama a atenção para algo que é muito importante não só para o Reino Unido mas também para todos os outros países, nomeadamente os europeus.

Luís Miguel Rosalino (Crédito: André P. Silva)

A conservação de predadores e o delineamento de estratégias eficazes de conservação para estas espécies passa em muito pela existência de bases de dados robustas da presença e abundância não só das espécies de predadores mas também das de presas. Este será sempre um dos primeiros passos para perceber a distribuição de um predador e curiosamente é uma lacuna frequente em muitos países europeus. Encontrar dados suficientes de presas para conseguir perceber a importância desta variável na distribuição do gato-bravo foi uma das grandes dificuldades deste trabalho”, descreve André Silva.


A investigação dos portugueses foi levada a cabo dentro de um projeto que está a ser liderado pela WildCRU e que tem duas vertentes principais, genética e ecológica. Nesta última está inserido este estudo e “é desejável que nos próximos anos se construam bases de dados robustas tanto para a presença da espécie como a para a presença das presas”, avança André Silva. De acordo com o biólogo, “tendo isto será possível delimitar concretamente áreas adequadas para a proteção da espécie”. Em seguida devem ser identificados os fatores locais mais importantes a limitar e a favorecer a presença da espécie. “Todo este processo levará algum tempo até estar completo e isso é um desafio pois é preciso atuar no terreno o mais depressa possível mas seria ideal ter essa informação antes de avançar”, sublinha.


888888888888888888888888888888888888888888888
Referência:
888888888888888888888888888888888888888888888



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sejam Felizes

Além das historinhas de meus próprios gatinhos, espero que gostem das informações que coloquei. Estou certa que conhecerão muito mais sobre os gatos. São informações muito úteis sobre eles. Inclusive dicas de livros sobre gatos. Postei aqui cerca de 600 Gifs animados de gatinhos, mais de 500 gatinhos estáticos, pinturas de gatinhos,DESENHOS para pintar de gatinhos (Para Crianças), miniaturas, alphas (alfabetos), tags, natalinos, barrinhas, fundo de email, gatos mágicos e muito mais; TUDO referente a nossos amados bichanos. Então, é só aproveitar e sair baixando tudo que interessar. Com Amor e Carinho. ♥♥♥Martha Cibelli♥♥♥

Precisamos de MIL assinaturas

Seguidores

Labels

Follow by Email

Mais vistas

 

GatoMania Templates Ipietoon Templates Ipietoon
Ilustração: Gatinhos - tubes by Jazzel (Site desativado)